Criado em 25 Abril 2014

em nunca teve o sono interrompido pelo barulho de um ronco? Pode ser o seu ou de outra pessoa, esse som acaba com a noite de qualquer um. Porém, já se sabe que o problema pode estar ligado à má formação da arcada dentária e, procurando ajuda no momento certo, esse mal pode ter solução. 

O ronco nada mais é que um distúrbio respiratório. O ar emite um ruído por estar encontrando dificuldade para passar pelas vias naturais. Isso ocorre porque, por conta de deficiências de crescimento da arcada dentária, a língua é obrigada a chegar mais para trás e invade o espaço destinado a passagem do ar. 

 “Atendo centenas de casos em que a causa do ronco é uma arcada estreita, com falhas de crescimento do maxilar, e até mesmo dentes extraídos para tratamento corretivo”, explica o cirurgião-dentista Rogério Pavan. 

Hora certa
O especialista garante que há tratamento para o ronco, mas o ideal é que seja feito na fase infantil, pois o crescimento da arcada só pode ser incentivado durante o processo de crescimento do corpo. “A partir dos três anos uma criança pode fazer tratamento para estimular o crescimento da boquinha, redimensionando os espaços bucais para permitir uma correta acomodação do língua, de forma que a via respiratória fique livre para a passagem do ar”.

Por conta disso, o tratamento em adultos fica bastante limitado ou nem acaba sendo efetivo. Para esses casos Rogério indica um dispositivo anti-ronco e anti-apneia para uso noturno que serve para ampliar a capacidade respiratória do paciente. 

Consequências
É importante destacar que o ronco, ou a apneia – distúrbio em que a pessoa fica alguns segundos sem respirar –, quando não tratados, podem gerar uma série de problemas, a começar pela boca. “Em geral, os pacientes se queixam de irritação na garganta e boca seca, essa última aumenta a probabilidade de cáries e problemas gengivais”, explica o dentista. 

Já para o corpo os danos podem ir desde nariz entupido, dor de cabeça e sinusite, até problemas muitos mais graves como o aumento da pressão arterial, predisposição a infarto, a AVC, ao mal de Parkinson e mal de Alzheimer. Portanto, se você sofre com o ronco não deixe de estar em dia com seus exames para garantir a qualidade da sua saúde e do seu sono.